quinta-feira, 3 de abril de 2008

Sereia- Lulu Santos

Clara como a luz do sol
Clareira luminosa nessa escuridão
Bela como a luz da lua
Estrela do oriente nesses mares do sul
Clareira azul no céu
Na paisagem
Será magia, miragem, milagre
Será mistério
Prateando horizontes
Brilham rios, fontes
Numa cascata de luz
No espelho dessas águas
Vejo a face luminosa do amor
As ondas vão e vêm
E vão e são como o tempo
Luz do divinal querer
Seria uma sereia
Ou seria só
Delírio tropical, fantasia
Ou será um sonho de criança
Sob o sol da manhã...

A música de Lulu Santos tem traços marcantes da 1ª geração romântica, pois em toda letra o autor dá características, que são um tanto quanto dignas de admiração, à mulher.Porém no final da música, mais especificamente nos últimos três versos o autor deixa subentendida a pergunta :' seria um delírio ou um sonho?' , o que nos mostra que a tal mulher é totalmente idealizada, o autor não pode tê-la, a não ser em seus sonhos ou delírios.

Luana Maria de Oliviera

2 comentários:

V disse...

O amor ingênuo de criança de fato remete à primeira geração romântica. Ousando um pouquinho, eu poderia dizer que esse é um amor que de tão tímido nem ousa sequer sonhar... quando começa, e portanto se enche de expectativas, rumando para o delírio, a ansiedade nervosa, já vai se aventurando para a 2ª geração... um abraço, gente!

Fernanda Papandrea disse...

:D

aee ;)

muito boa a intertextualidade ^^