segunda-feira, 7 de abril de 2008

Aula dia 07/04/2008

Na aula do dia 07 de abril, o professor citou que, antes do Romantismo, os artistas eram "amparados" por pessoas de boas posses, ou instituições (como a Igreja Católica), para que pudessem produzir suas obras.
Tal fato era retribuído com a exibição, nas obras, de fatores que interessassem ao mecenas, tais como, pinturas de telas religiosas ou até mesmo em Igrejas, quadros com a face dos "patrões"...

Essa submissão, devida aos mecenas pelos artistas, é exemplificada no livro "Moça com Brinco de Pérola" lido pela turma ano passado. O pintor Vermmer pinta o famoso quadro que intitula o livro devido a um pedido de seu mecenas.

Já no Romantismo, a arte torna-se profissão e os escritores, por exemplo, passam a vender seus livros aos jornais, sob a forma de folhetins. O Romance de Folhetim é considerado o precursor do gênero novelístico pois, nos jornais, era publicado semanalmente. Portanto, a fim de manter os leitores presos à história, o capítulo sempre terminava em um ponto culminante.
Ler os romances era um fato familiar, motivo de reuniões, em que lia-se o folhetim em voz alta a fim de que as mulheres e os não-letrados pudessem apreciá-los. Este era, então, um costume da elite da época.
A ordem, portanto, em que eram dispostos os acontecimentos era bem característica. O clássico brasileiro "A Moreninha" de Joaquim Manel de Macedo, prosa romântica da 1ª Geração, é um exemplo marcante das características citadas: além do fim instigante (citado em sala pelo professor) o romance apresenta capítulos com títulos sugestivos e com introduções que situam o leitor em pontos expressos nos capítulos anteriores. A leitura do livro realça esses aspectos, não comuns na literatura atual, publicada (normalmente) sob a forma de livros impressos completos, ou em séries conexas.

Aline Detoni

2 comentários:

Claudinha disse...

muito boa a observaçao da Aline quanto ao livro do ano passado, "Moça com Brincos de Pérolas". Exemplificando com algo que a gente ja tenha conhecimento, fica mais facil entender a materia!
;D

Literatura-202 disse...

Pessoal, vou postar aqui como comentário para o texto da Aline Detoni, mas me refiro ao blog de maneira geral. Está muito legal, é muito gostoso para o professor ler coisas tão maduras e que complementam com tamanha oportunidade os assuntos tratados em sala...
Acaba resolvendo o nosso problema de tempo em sala, e a gente pode aprofundar os assuntos... e o principal, vindo de vocês...
Superhiperultra legal mesmo!!!!
Parabéns a todos(todas? Algum representante do sexo masculino já se manifestou? Vou conferir...) pela iniciativa...